Pronunciamento – Vereador Souza Santos – Não são apenas R$ 0,20 centavos

A chapa esquentou...

Não são só 0,20!

Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo de Futebol e mostrará ao Mundo toda a precariedade nos serviços públicos, na falta de infraestrutura . Estádios, aeroportos, transportes, estradas, hotéis, comunicações, hospitais. Será a maior vergonha de uma nação que arrecada milhões todos os anos, que tem a maior carga tributária do mundo e que, não vê o retorno disso em qualidade de vida.

No Brasil se investe em construção de presídios, quando na realidade precisamos investir nas escolas, na educação. Hoje temos um índice de analfabetos de 13%, a renda per capita tem em média R$ 10 mil reais. Jovens em idade universitária atingem 18% da população.

A Coréia do Sul no entanto, na mesma época, estará investindo em educação e conscientização ambiental, com a abolição dos livros de papel por tablets eletrônicos para 100% dos seus alunos. O país tem 0% de analfabetos, Renda per capita de R$ 32 mil (3 vezes mais do que o Brasil) e jovens universitários em torno de 82% (4 vezes e meia a mais do que o Brasil).

Um programa de 2 bilhões de dólares conectará todos os alunos da escola primária na internet. Na América Latina, com relação a educação, o Uruguai é destaque, pois tem um computador para cada aluno da escola primária.

A Coreia do Sul apostou em educação. O Brasil em contrapartida, em prisões, na redução da maioridade penal sendo considerado o campeão mundial no encarceramento de pessoas. E, na cadeia, o que esse jovem, essa pessoa aprende é apenas mais façanhas da criminalidade e, quando enfim, voltam para as ruas, ao invés de estar preparados para as inserções de mercado, profissional ou até mesmo emocional, estão na realidade ainda mais preparados para o crime, para possivelmente voltar pra essas instituições com pensamentos e atitudes ainda mais perversas do que na primeira apreensão.

De acordo com levantamento do Instituto Avante Brasil, a quantidade de detentos não-condenados aumentou 1253% em 10 anos. Os já condenados cresceram 278%. O numero dos presídios aumentou 253%.

Ainda, de acordo com dados do mesmo instituto, foi constatado uma queda de 19,3% no numero de escolas públicas do país, em 1994 haviam 200.459 escolas publicas contra 161.783 em 2009.

E, não para por aí, não é só a educação que deixa a desejar, as manifestações que pudemos acompanhar pelas redes sociais, pelas mídias nos últimos dias, tem retratado a indignação e a insatisfação da população com o descaso das necessidades básicas e primordiais de toda a nação.

O descontentamento tem aumentado a cada dia, visto que o desrespeito ao trabalhador, ao contribuinte só tem crescido. Sabemos que o país, tem a maior carga tributaria do mundo e é também o povo mais humilhado e discriminado pelas mais diversas formas de manifestação. Os números não mentem, ao contrário eles mostram a realidade:

  • No Brasil, 13 milhões passam fome;

  • Brasil – 85º no ranking de desenvolvimento humano;

  • Copa do Mundo vai custar em torno de 30 bilhões de dólares, enquanto que as 03 últimas (África do Sul, Alemanha e Japão); custaram em torno de 25 milhões de dólares.

  • Neste mês, o Brasil completa 08 anos da operação do Exercito brasileiro no Haiti, com gasto aproximado de R$ 2 bilhões de reais.

  • A operação era pra ter sido realizada com duração de 06 meses e o gasto deveria ser de R$ 150 milhões.

  • Em 2007, os Jogos Panamericanos tinham a previsão de gastos de R$ 400 milhões. No entanto, foram gastos 4 Bilhões.

  • Em 2000, havia projeto da construção de metrô em Salvador, com gastos de até R$ 300 milhões.

  • Hoje a obra ainda não foi finalizada e os gastos já ultrapassam R$ 600 milhões. Pobres não podem entrar nos estádios, são impedidos pelos altos valores.

  • A Copa do Mundo de Futebol já ultrapassou em 1 bilhão o que fora previsto no inicio do projeto.

Não há resultados promissores sobre as negociações de meia entrada para estudantes no estádios, mesmo sabendo que o  valor do ingresso pode chegar a R$ 500,00. A disparidade é tremenda, visto que o salário é pouco mais do que esse valor.É incrível imaginar que, um evento como este, em solo nacional, tenha números absurdos como estes.

Investimentos internacionais foram feitos pelo Governo Brasileiro para construção de hospitais públicos na Palestina. Hoje, o território palestino, conta com saúde de qualidade, graças a investimentos do Brasil, pagos com a contribuição de cada um de nós.

E o país, e o Brasil? O que o país tem a oferecer à população? Hoje a situação dos nossos hospitais é péssima.

Falta infraestrutura. Os leitos são trocados por poltronas de estádios. Faltam melhores salários para os profissionais.

Falta respeito ao povo e, sobram pessoas morrendo nos corredores por falta de atendimento.

E como não mencionar o Transporte publico: ônibus lotados, horários irregulares, transito caótico, entre outros problemas de mobilidade urbana.

É por essas e muitas outras reivindicações que o povo de São Paulo iniciou um protesto ganhando às principais vias, cobrando do Governo transparência de gastos, melhores condições de saúde publica, transporte público de qualidade (que não seja tão oneroso à população), segurança publica, entre tantas outras coisas.

O que vemos nas ruas é o povo redesenhando a democracia participativa da Republica Federativa do Brasil. O povo deixou ecoar toda a indignação contra qualquer forma de repressão.

Durante todos esses dias, éramos nós ali representados. Aquelas vozes ecoavam nossos maiores anseios e, nós todos, nação, nos juntamos pelo fim das injustiças.

A Avenida Paulista e ruas principais foram tomadas de força, entoando “verás que um filho teu não foge a luta”. Tenho orgulho de fazer parte dessa “ Pátria Amada  que se ergue da justiça à clava forte”.

Cada um de nós, esteve ali representados, pessoas diferentes, unidas por uma só força, um só objetivo.

Tem meu apoio cada pessoa que luta por seus direitos conferidos pela Constituição Federal/88.

Tem meu apoio cada brasileiro, cada paulistano que anseia por uma cidade, um país mais humano e, mais decente pra todos!

Vamos todos nos unir por um país mais digno e democrático, com qualidade em saúde, educação, transporte público, nos padrões FIFA.

Por isso que cabe aqui uma referencia aquela música do Rappa, onde seu vocalista, o Falcão, entoa entusiasmadamente:

Ooooh,

Vem pra rua

Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil.

Pois bem, meus amigos... é essa arquibancada de torcedores que devemos admirar.

O que vale elogios é a arquibancada que torce e vibra por um País melhor que não dura apenas uma Copa mas perdura pelas próximas gerações.

Somos torcedores do Brasil – país/nação e não somente de um time de futebol.


  
        		

Sobre Vereador Souza Santos