Guardando o Coração

Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Mateus 5.3 Todos os dias o galo cantava bem cedo, e logo o sol aparecia. Ele passava o dia inteiro orgulhoso, gabando-se no galinheiro, com ar de superioridade no peito pela potência do seu canto. Um dia, muito cansado, perdeu a hora, e quando acordou o sol já estava lá, brilhando com toda a sua pujança. Pobre galo! Caiu numa depressão tremenda, pois descobriu que não era ele o autor daquela maravilha. Não foi sem propósito que o Senhor Jesus iniciou o sermão do monte chamando todo mundo a não tirar os pés do chão, a não ficar voando nas nuvens, achando que é mais importante do que os outros só porque faz algo diferente dos outros, ainda que o resultado do seu trabalho, aos olhos humanos, seja extraordinário. Quando os 70 enviados pelo Senhor Jesus retornaram, estavam maravilhados, pois os enfermos eram curados e os demônios expulsos, mas foram advertidos para que se alegrassem com o nome arrolado no céu. Temos que tomar muito cuidado para não perdermos a noção do nosso tamanho. Pois quando começamos a buscar o reconhecimento do nosso trabalho pode até ser que ele venha, mas se algum dia isso não acontecer, ou deixar de acontecer, a tristeza pode ser tão profunda que o buraco será inevitável. Pense nisto: se tirarmos o Nome de Jesus, a Palavra de Deus e o Seu Espírito, o que restará das nossas conquistas? Bispo Gonçalves b_7

Sobre Vereador Souza Santos