A raiva justa

“Você pode realizar mais em um dia de raiva justa do que em um ano de passividade.” E muitos perguntaram: “O que é raiva justa?” Pelo jeito, não é tão óbvio quanto eu pensava.

Você sabe o que é raiva e sabe o que é justo. Talvez nunca tenha visto essas duas palavras juntas, mas agora pense no que significam. Raiva e justiça estão muito relacionadas. Normalmente é o nosso senso de justiça que suscita nossa raiva. Quando algo está errado, imediatamente temos uma reação. Se alguém já lhe deu uma fechada no trânsito, você sabe exatamente do que estou falando. Você ficou com raiva. Mas se você reagiu acelerando mais e dando uma fechada nele, essa raiva não foi justa. Você colocou em risco sua segurança e a de outros. Não agiu certo. Não resolveu nada. Não melhorou a educação no trânsito, só piorou. A raiva justa não piora as coisas. Ela age furiosamente, mas com inteligência, para corrigir o que está errado. Ela é veloz. Ela é firme. Ela é focada no resultado positivo. Ela não se detém diante de nada. E por isso, quando esse tipo de raiva entra em ação, você é capaz de realizar mais em um dia do que conseguiu em um ano de passividade. Quando você está com raiva de alguma coisa, lembre-se disto: a raiva é uma poderosa fonte de energia. É como a eletricidade, que pode acender as luzes e aparelhos de sua casa ou lhe dar um choque e você morrer eletrocutado. Sua raiva pode ser justa e ajudá-lo a corrigir o que está errado ou levá-lo a atitudes mais erradas ainda e arruinar sua vida. Tudo vai depender de como você vai usar essa energia. Neste momento em sua vida, você está com muita raiva de alguma coisa? Então pergunte-se: “Vou fazer alguma coisa a respeito disso?”
  1. Se a resposta é “não”, então arrume uma maneira segura de descarregar essa raiva o mais rápido possível. Vá para a academia. Ore. Escreva um diário. Desabafe com um amigo. E pare de pensar no assunto.
  2. Se a resposta é “sim”, então aproveite essa energia! Foque no resultado positivo e comece a agir imediatamente. O segredo está no “imediatamente”. É já, agora! (Você ainda está aí?) Fonte: Renato Cardoso

Sobre Vereador Souza Santos